Pular para o conteúdo principal

Morre policial baleado - Cabo Cirilo Rego estava internado

Morre policial baleado - Cabo Cirilo Rego estava internado

Após ser baleado em assalto com refém a uma van. Um infrator foi morto por colegas do militar e outro bandido também ficou ferido.

O cabo da Polícia Militar Josias Cirilo Rego, baleado durante um assalto com refém em que um adolescente infrator foi morto, há dez dias, em Belém, não resistiu ao ferimento e morreu na madrugada de ontem. Cirilo estava internado no Hospital Metropolitano, em Ananindeua. O velório ocorreu ontem no Clube da Big Ben, na Rodovia do Tapanã. O corpo será enterrado às 10 horas de hoje, no Cemitério São Sebastião, em Ananindeua. 
O militar tinha 41 anos, quase 21 deles dedicados à corporação. Durante o assalto com refém, ele foi baleado no maxilar, tendo sido socorrido e levado ao hospital. Segundo a cunhada e os irmãos dele, Rosalena, Raimundo e Claudecy Rego, o cabo passou o maior período da internação sedado. Eles relataram que o cérebro do policial ficou inchado devido ao período em que ficou sem oxigenação logo após o baleamento. “Levou dez minutos para chegar ao hospital. Estava desacordado. Demorou (para chegar ao hospital)”. “Chegaram a tirar a sedação dele. Ele se comunicou com sinais, pois estava entubado, demonstrou estar consciente, mas voltou a ser sedado”, contaram. Na madrugada de ontem, o cabo Cirilo sofreu uma parada cardíaca. “Está todo mundo desolado com essa situação”, disse, emocionada, a cunhada.
O cabo Cirilo era lotado no 24º Batalhão da PM. Ele participava da negociação para o rendimento de três suspeitos de participação no assalto a uma van, na Rodovia Mário Covas. Os acusados mantinham dez reféns, um dos assaltantes tinha baleado a si mesmo por acidente, o segundo assaltante já havia se entregado e o terceiro (o adolescente), estava se entregando logo em seguida, quando o policial foi atingido. 
Para ler a matéria completa, assine O Liberal Digital!

BERNARDINO SANTOS

Bernardino Santos

LIBERAL SOCIETY

Liberal Society

CLÁUDIO HUMBERTO

Cláudio Humberto


CARLOS FERREIRA

Carlos Ferreira

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POR ONDE ANDA ?BARROS DE ALENCAR

BARROS DE ALENCAR POR ONDE ANDA ? Atualmente está participando do programa Kaká Siqueira na Rádio Record AM (1.000 kHz - São Paulo/SP), onde apresenta o quadro "Momento Barros de Alencar". BREVE HISTÓRICO: Comunicador, radialista, cantor e apresentador de TV. Paraíbano da cidade de Uiraúna, nasceu no dia 5 de agosto. Começou na Rádio Borburema, em Campina Grande - PB. Depois passou por Recife, Fortaleza e Belo Horizonte até chegar a cidade de São Paulo. Na Capital paulista passou pela antiga Rádio Tupi de São Paulo, Record e América. Na década de 80, comandou seu programa na TV Record, levando ao ar os grande sucessos musicais da época.

Povos indígenas no estado de Rondônia, fotos inéditas dos índios isolados do Acre

Povos indígenas no estado de Rondônia
Aikanã, Ajuru, Amondawa, Arara, Arikapu, Ariken, Aruá, Cinta Larga, Gavião, Jabuti, Kanoê, Karipuna, Karitiana, Kaxarari, Koiaiá, Kujubim, Makuráp, Mekén, Mutum, Nambikwara, Pakaanova, Paumelenho, Sakurabiat, Suruí, Tupari, Uru Eu Wau Wau, Urubu, Urupá
1-Povo Uru-Eu-Wau-Wau
A população da Terra indígena Uru-Eu-Wau-Wau é composta por vários subgrupos, como: Jupaú, Amondawa e Uru Pa In. Encontram-se distribuídos em 6 aldeias, nos limites da Terra Indígena, por questões de proteção e vigilância. Além destas etnias, há presença de índios isolados como os Parakuara e os Jurureís.
Os Jupaú traduzem sua autodenominação como "os que usam jenipapo". A denominação "Uru-eu-wau-wau" foi dada aos Jupaú pelos índios Oro-Uari.
Muitos foram os nomes atribuídos aos Uru-Eu-Wau-Wau. As denominações Bocas-Negras, Bocas-Pretas, Cautários, Sotérios, Cabeça-Vermelha, são encontradas na historiografia e estão relacionadas ao espaço geográfico ou a se…

MULHER ENTRA NUA EM CABINE DA PM E CONSTRANGE POLICIAIS MILITARES

MULHER ENTRA NUA EM CABINE DA PM E CONSTRANGE POLICIAIS MILITARES EM MANAUS Portal do Holanda