Pular para o conteúdo principal

Tribunal do Trabalho mantém sentença e Acre Cap terá que pagar multa de R$ 5 mi

Tribunal do Trabalho mantém sentença e Acre Cap terá que pagar multa de R$ 5 mi

O Acrecap Legal ainda fica proibido de comercializar seus produtos em vias públicas, como acontecia até o ano passado
Fábio Pontes,
Da Redação, Contilnet Notícias
acrecap
O Tribunal Regional do Trabalho da 14º Região (TRT) manteve a decisão da 1º Vara do Trabalho em Rio Branco que considerou irregular a relação contratual entre a empresa de título de capitalização Acrecap Legal e os  vendedores responsáveis pela comercialização dos títulos nas ruas das cidades acreanas.
Foi o Ministério Público do Trabalho que ajuizou uma civil publica contra o Acrecap Legal. De acordo com a sentença, o Acrecap foi condenado ao pagamento de indenização por dano moral coletivo e dumping no valor total de R$ 5 milhões.
A relação trabalhista entre a empresa e os vendedores foi alvo de denúncia por parte do Ministério Público do Trabalho, que apontou supostas ilegalidades, como a não assinatura da carteira de trabalho, terceirização irregular e condições insalubres para os funcionários exercerem suas funções.
O Acrecap Legal ainda fica proibido de comercializar seus produtos em vias públicas, como acontecia até o ano passado. A venda estará liberada somente em locais apropriados e que ofereçam condições de segurança aos funcionários, que deverão, agora, ter suas carteiras assinadas.
A empresa ainda terá que pagar R$ 10 mil por cada vendedor identificado trabalhando sem seus direitos, e outros R$ 150 mil por “litigância de má-fé”, que é quando uma das partes tenta atrapalhar ou atrasar o andamento do processo por meio de recursos apenas para retardar seus efeitos.

Comentários

  1. Que seja assim em todo Brasil , pois basta de arapucas pra enganar a nossa gente , parabéns ao Ministério Público do Trabalho do Acre ,assim que se faz justiça !

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

POR ONDE ANDA ?BARROS DE ALENCAR

BARROS DE ALENCAR POR ONDE ANDA ? Atualmente está participando do programa Kaká Siqueira na Rádio Record AM (1.000 kHz - São Paulo/SP), onde apresenta o quadro "Momento Barros de Alencar". BREVE HISTÓRICO: Comunicador, radialista, cantor e apresentador de TV. Paraíbano da cidade de Uiraúna, nasceu no dia 5 de agosto. Começou na Rádio Borburema, em Campina Grande - PB. Depois passou por Recife, Fortaleza e Belo Horizonte até chegar a cidade de São Paulo. Na Capital paulista passou pela antiga Rádio Tupi de São Paulo, Record e América. Na década de 80, comandou seu programa na TV Record, levando ao ar os grande sucessos musicais da época.

Povos indígenas no estado de Rondônia, fotos inéditas dos índios isolados do Acre

Povos indígenas no estado de Rondônia
Aikanã, Ajuru, Amondawa, Arara, Arikapu, Ariken, Aruá, Cinta Larga, Gavião, Jabuti, Kanoê, Karipuna, Karitiana, Kaxarari, Koiaiá, Kujubim, Makuráp, Mekén, Mutum, Nambikwara, Pakaanova, Paumelenho, Sakurabiat, Suruí, Tupari, Uru Eu Wau Wau, Urubu, Urupá
1-Povo Uru-Eu-Wau-Wau
A população da Terra indígena Uru-Eu-Wau-Wau é composta por vários subgrupos, como: Jupaú, Amondawa e Uru Pa In. Encontram-se distribuídos em 6 aldeias, nos limites da Terra Indígena, por questões de proteção e vigilância. Além destas etnias, há presença de índios isolados como os Parakuara e os Jurureís.
Os Jupaú traduzem sua autodenominação como "os que usam jenipapo". A denominação "Uru-eu-wau-wau" foi dada aos Jupaú pelos índios Oro-Uari.
Muitos foram os nomes atribuídos aos Uru-Eu-Wau-Wau. As denominações Bocas-Negras, Bocas-Pretas, Cautários, Sotérios, Cabeça-Vermelha, são encontradas na historiografia e estão relacionadas ao espaço geográfico ou a se…

MULHER ENTRA NUA EM CABINE DA PM E CONSTRANGE POLICIAIS MILITARES

MULHER ENTRA NUA EM CABINE DA PM E CONSTRANGE POLICIAIS MILITARES EM MANAUS Portal do Holanda