Pular para o conteúdo principal

Conheça as histórias de bilionários que perderam tudo

Conheça as histórias de bilionários que perderam tudo

42383
Ouvir texto
0:00
Imprimir Comunicar erro
Em apenas 16 meses, a fortuna pessoal do empresário brasileiro Eike Batista passou de US$ 34,5 bilhões para US$ 200 milhões, segundo a agência Bloomberg.
Mas Eike não foi o único bilionário que viu seus cofres se esvaziarem na velocidade de um jatinho executivo nos últimos anos.
Após experimentarem uma vida de luxo e conforto inimaginável para 99,9% da humanidade, super-ricos de outros países tiveram quedas ainda mais duras que as do magnata brasileiro. Alguns chegaram a ter a falência decretada. Outros, terminaram atrás das grades. Confira abaixo a história de três desses ex-bilionários:

Sean Quinn, Irlanda

Proveniente de uma família humilde do condado irlandês de Fermanagh, Quinn abandonou a escola aos 14 anos.
  • BBC Sean Quinn era o homem mais rico da Irlanda, mas perdeu tudo ao apostar no banco mais atingido pela crise econômica no país
Ele começou a ganhar dinheiro com uma pedreira na fazenda de sua família e em quatro décadas construiu um conglomerado que ia do ramo de seguros a fabricação de cimento.

Em 2007, era o homem mais rico da Irlanda, com uma fortuna estimada em US$ 6 bilhões, mas perdeu tudo ao apostar parte de sua fortuna em uma jogada financeira que lhe daria 25% do banco Anglo, o mais atingido pela crise econômica na Irlanda.

O Anglo terminou sendo nacionalizado em 2009, recebendo bilhões em aportes do governo irlandês. E Quinn teve a falência decretada em 2011.

Hoje, segundo o Irish Banking Resolution Company (IBRC), o ex-bilionário teria dívidas de US$2 bilhões, embora ele conteste tal valor na Justiça.

No ano passado, um de seus cinco filhos e seu sobrinho foram condenados a três meses de prisão por tentar esconder do IBRC - novo controlador do império empresarial dos Quinns - uma série de ativos da família.

Quinn passou nove semanas na prisão entre o fim do ano passado e início deste ano pelo mesmo motivo, mas em seu país o ex-magnata ainda divide opiniões.

Os que o defendem lembram que ele ajudou a criar "milhares" de empregos na Irlanda e alegam que teria sido um "bode expiatório" para executivos do mercado financeiro envolvidos na crise do Anglo.

Allen Stanford, Estados Unidos


  • Richard Carson/Reuters O ex-bilionário Allen Stanford chega à Corte Federal, em Houston (EUA), onde foi condenado a 110 anos de prisão por conspiração e fraude
O texano Allen Stanford construiu sua fortuna no setor imobiliário nos EUA no início dos anos 80. Em 1985, ele abriu o Stanford Financial Group - instituição financeira que chegou a administrar ativos de mais de US$ 30 bilhões, de clientes de 140 países.
Após mudar-se para o Caribe, Stanford tornou-se cidadão de Antígua e Barbuda de quem recebeu o título de "Sir".
Ele chegou a ser o segundo maior empregador do arquipélago, depois do governo, e em 2008 teve sua fortuna pessoal estimada em mais de US$2 bilhões.
A queda do bilionário foi precipitada em 2009 por um escândalo desatado por acusações de fraude contra seu banco.
Stanford foi detido e, em junho do ano passado, terminou condenado a 110 anos de prisão.
A conclusão das investigações é que ele teria desviado US$ 7 bilhões de seus clientes em um período de duas décadas, no que foi descrito como um dos maiores

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POR ONDE ANDA ?BARROS DE ALENCAR

BARROS DE ALENCAR POR ONDE ANDA ? Atualmente está participando do programa Kaká Siqueira na Rádio Record AM (1.000 kHz - São Paulo/SP), onde apresenta o quadro "Momento Barros de Alencar". BREVE HISTÓRICO: Comunicador, radialista, cantor e apresentador de TV. Paraíbano da cidade de Uiraúna, nasceu no dia 5 de agosto. Começou na Rádio Borburema, em Campina Grande - PB. Depois passou por Recife, Fortaleza e Belo Horizonte até chegar a cidade de São Paulo. Na Capital paulista passou pela antiga Rádio Tupi de São Paulo, Record e América. Na década de 80, comandou seu programa na TV Record, levando ao ar os grande sucessos musicais da época.

Povos indígenas no estado de Rondônia, fotos inéditas dos índios isolados do Acre

Povos indígenas no estado de Rondônia
Aikanã, Ajuru, Amondawa, Arara, Arikapu, Ariken, Aruá, Cinta Larga, Gavião, Jabuti, Kanoê, Karipuna, Karitiana, Kaxarari, Koiaiá, Kujubim, Makuráp, Mekén, Mutum, Nambikwara, Pakaanova, Paumelenho, Sakurabiat, Suruí, Tupari, Uru Eu Wau Wau, Urubu, Urupá
1-Povo Uru-Eu-Wau-Wau
A população da Terra indígena Uru-Eu-Wau-Wau é composta por vários subgrupos, como: Jupaú, Amondawa e Uru Pa In. Encontram-se distribuídos em 6 aldeias, nos limites da Terra Indígena, por questões de proteção e vigilância. Além destas etnias, há presença de índios isolados como os Parakuara e os Jurureís.
Os Jupaú traduzem sua autodenominação como "os que usam jenipapo". A denominação "Uru-eu-wau-wau" foi dada aos Jupaú pelos índios Oro-Uari.
Muitos foram os nomes atribuídos aos Uru-Eu-Wau-Wau. As denominações Bocas-Negras, Bocas-Pretas, Cautários, Sotérios, Cabeça-Vermelha, são encontradas na historiografia e estão relacionadas ao espaço geográfico ou a se…

MULHER ENTRA NUA EM CABINE DA PM E CONSTRANGE POLICIAIS MILITARES

MULHER ENTRA NUA EM CABINE DA PM E CONSTRANGE POLICIAIS MILITARES EM MANAUS Portal do Holanda