Pular para o conteúdo principal

Manaus é assim !

Roteiro apresenta várias opções de lazer na natureza no Amazonas

Pescaria, caminhada na selva, focagem de jacarés e visita ribeirinha são algumas das alternativas de diversão 

    Atividades podem ser feitas a apenas 2 horas de Manaus
    Atividades podem ser feitas a apenas 2 horas de Manaus (Lucas Silva )
    O dia 7 de setembro é conhecido como o dia em que o “Grito do Ipiranga” deu luz à Independência do Brasil. O que alguns não lembram é que dois dias antes (dia 5) se comemora o dia em que o Amazonas foi elevado à categoria de Província, e também o Dia da Amazônia. No País e Estado, alguns feriados e pontos facultativos surgem para contemplar as duas datas, fazendo com que o público tenha alguns dias para descansar.
    Que tal aproveitar o recesso  para conhecer as belezas naturais da região e celebrar assim a sua liberdade? Para isso, nós listamos uma série de atividades que podem ser praticadas sem a necessidade de se afastar muito da capital amazonense, e que ao mesmo tempo proporcionam uma grata experiência com a natureza.
    Pescando piranhas
    Pescar peixes das mais variadas espécies já é um tanto quanto emocionante? Agora imagina pescar piranhas em uma canoa motorizada pequena? Isso acaba conferindo maior adrenalina entre os turistas. É claro que a canoa não corre o risco de virar, porque a atividade é inteiramente supervisionada por instrutores que ensinam inclusive o manejo correto da vara de pesca e da isca – cubos de filé mignon – para atrair o peixe.
    “Aqui nós temos sete espécies de piranhas, mas a mais comum é a piranha-caju (ou piranha vermelha). Ela é a mais perigosa, porque anda sempre em cardume e é capaz de estraçalhar a presa”, declara o guia turístico Oilson Gomes. O rio que compreende a área da pesca é o Rio Negro. “Mas nessa época do ano ele recebe água do Rio Solimões, por conta do braço que o liga com o Rio Ariaú”, pondera.
    Caminhada na selva
    Outra alternativa bem bacana é a caminhada pelos arredores de alguns hotéis de selva da região. Durante a caminhada pelas passarelas sobre as palafitas do Ariaú Amazon Towers, por exemplo, os guias turísticos apresentam um pouco de tudo o que há na fauna e flora do local. “A caminhada na selva é bastante querida pelo público, porque transmitimos informações sobre as plantas nativas e animais da região”, coloca Oilson. Como muitos desses guias são ribeirinhos que moram nas proximidades, o conhecimento transmitido ao público tem raízes ancestrais.
    Focagem de jacarés
    Durante a noite, os mais corajosos podem participar da focagem de jacarés pequenos. Na atividade, os turistas vão com os guias turísticos em um passeio pelas águas do rio em canoas motorizadas. Com o auxílio de uma lanterna, os instrutores buscam na superfície das vegetações sobre a água o reflexo dos olhos dos jacarés, que se parecem com pontas de cigarro. “O ideal é pegar o animal na frente do barco, quando ele passar. Mas como o rio está cheio nessa época, e como não tem luar, o canoeiro pode acabar pulando na água para pegar o animal mais rápido e mostrar ao turista”, comenta.
    Após pegar o jacaré, os instrutores dão uma básica explicação sobre a espécie apanhada, bem como dados sobre o sexo, idade e tamanho do animal. É permitido tirar fotos com o jacaré e tocá-lo, mas sempre sob o olhar atento dos supervisores do passeio. “Como nós retiramos o animal do seu habitat natural, o máximo de tempo que passamos com ele no barco é 10 minutos, para não estressar o animal”, destaca o guia de turismo. Logo após, é colocado um colete salva-vidas sobre a água, onde o animal é colocado para enfim seguir rio adentro.
    Visita ribeirinha
    Por fim, os visitantes também podem ter a oportunidade de conhecer uma comunidade ribeirinha às margens do Rio Negro. As visitas são feitas tanto na Comunidade São Thomé quanto na Comunidade do Acajatuba. Além de ser mais acessível, a primeira comunidade citada é a que foi reformada pelo programa Caldeirão do Huck em 2010, para os quadros “Lar doce lar”, “Lata velha” e “Agora ou nunca”, o que chama bastante a atenção dos turistas. Lá, os visitantes conhecem os artesanatos produzidos pelos locais, e a história da borracha explicada pelo seringueiro Elias Cardoso.
    Serviço
    O que é: Roteiro turístico da Semana da Pátria 
    Quando: De 4 a 7 de setembro
    Onde: Ariaú Amazon Towers
    Info: (92) 2121-5000
    Pacotes: www.ariau.tur.br

    Comentários

    Postagens mais visitadas deste blog

    POR ONDE ANDA ?BARROS DE ALENCAR

    BARROS DE ALENCAR POR ONDE ANDA ? Atualmente está participando do programa Kaká Siqueira na Rádio Record AM (1.000 kHz - São Paulo/SP), onde apresenta o quadro "Momento Barros de Alencar". BREVE HISTÓRICO: Comunicador, radialista, cantor e apresentador de TV. Paraíbano da cidade de Uiraúna, nasceu no dia 5 de agosto. Começou na Rádio Borburema, em Campina Grande - PB. Depois passou por Recife, Fortaleza e Belo Horizonte até chegar a cidade de São Paulo. Na Capital paulista passou pela antiga Rádio Tupi de São Paulo, Record e América. Na década de 80, comandou seu programa na TV Record, levando ao ar os grande sucessos musicais da época.

    Povos indígenas no estado de Rondônia, fotos inéditas dos índios isolados do Acre

    Povos indígenas no estado de Rondônia
    Aikanã, Ajuru, Amondawa, Arara, Arikapu, Ariken, Aruá, Cinta Larga, Gavião, Jabuti, Kanoê, Karipuna, Karitiana, Kaxarari, Koiaiá, Kujubim, Makuráp, Mekén, Mutum, Nambikwara, Pakaanova, Paumelenho, Sakurabiat, Suruí, Tupari, Uru Eu Wau Wau, Urubu, Urupá
    1-Povo Uru-Eu-Wau-Wau
    A população da Terra indígena Uru-Eu-Wau-Wau é composta por vários subgrupos, como: Jupaú, Amondawa e Uru Pa In. Encontram-se distribuídos em 6 aldeias, nos limites da Terra Indígena, por questões de proteção e vigilância. Além destas etnias, há presença de índios isolados como os Parakuara e os Jurureís.
    Os Jupaú traduzem sua autodenominação como "os que usam jenipapo". A denominação "Uru-eu-wau-wau" foi dada aos Jupaú pelos índios Oro-Uari.
    Muitos foram os nomes atribuídos aos Uru-Eu-Wau-Wau. As denominações Bocas-Negras, Bocas-Pretas, Cautários, Sotérios, Cabeça-Vermelha, são encontradas na historiografia e estão relacionadas ao espaço geográfico ou a se…

    MULHER ENTRA NUA EM CABINE DA PM E CONSTRANGE POLICIAIS MILITARES

    MULHER ENTRA NUA EM CABINE DA PM E CONSTRANGE POLICIAIS MILITARES EM MANAUS Portal do Holanda