Pular para o conteúdo principal

Rede =Marina Silva agora é nossa vez!

Rede: Queremos filiados de qualidade, não em quantidade, diz Marina Silva

FOLHA DE SP
A ex-senadora e ex-ministra Marina Silva disse nesta terça-feira (29) que a Rede Sustentabilidade, seu novo partido recém-registrado pela Justiça Eleitoral, não está dialogando com parlamentares em busca de quantidade, mas de qualidade.
Nos últimos dias, aderiram à Rede o senador Randolfe Rodrigues, do Amapá, que saiu do PSOL, os deputados federais Miro Teixeira (RJ), que estava no Pros, Alessandro Molon (RJ), do PT, e Aliel Machado (PR), do PC do B, além da ex-senadora e vereadora em Maceió (AL) Heloísa Helena, que também estava no PSOL.
“A nossa expectativa é que venham aquelas pessoas que tenham identidade programática. Nós não estamos fazendo uma abordagem pensando em quantidade. Nós pensamos em contribuir com a melhora da qualidade na política. Todas as pessoas que estão em diálogo conosco estão dialogando com base no programa da Rede, que se propõe a dar uma contribuição para renovar a política, principalmente na postura”, disse.
As declarações foram dadas após uma palestra sobre sustentabilidade, realizada no UniCEUB (Centro Universitário de Brasília). Durante sua fala a uma plateia de estudantes e acadêmicos, Marina voltou a dizer que não é de direita nem de esquerda, e se classificou como “sustentabilista progressista”.
Questionada sobre as pretensões eleitorais de Molon e Randolfe, apontados como possíveis candidatos à Prefeitura do Rio e ao governo do Amapá, respectivamente, Marina disse que é um direito deles apresentar-se como candidatos, mas que este não é o momento.
“Essas pessoas não vieram colocando que estavam vindo para a Rede para uma candidatura. Todos os que participam de um partido político têm direito de se colocar como possíveis candidatos, mas, neste momento, eles estão vindo para ajudar a construir o partido.”
“A Rede é uma tentativa, como está acontecendo no mundo inteiro, no Chile, no Canadá, na Espanha, nos Estados Unidos, de dar uma contribuição pensando no novo sujeito político. Sabemos como é um partido tradicional, de massa, de quadros, mas um partido em rede é uma construção que se inicia agora, no Brasil e no mundo”, disse Marina.
Segundo ela, a política mudou de “dirigida” –por um partido, um líder, um sindicato ou uma igreja– para um “ativismo autoral”, em que as pessoas desejam ser “mobilizadoras e protagonistas”.
CRÍTICAS AO AJUSTE
Após a palestra, marcada pelo tom de crise –”crise política, crise econômica, crise social e crise de valores”, como disse Marina várias vezes–, a ex-ministra criticou o ajuste promovido pelo governo Dilma Rousseff.
“Estamos diante de uma crise profunda, milhões de pessoas perdendo seus empregos, juros altos, inflação alta, falta de credibilidade em relação a uma série de medidas –a toda semana se tem uma medida nova [apresentada pelo governo]–, e o papel mais grave dessa crise é que a presidente Dilma tem um projeto de ajuste para o Brasil, e o partido da própria presidente apresentou um outro projeto criticando o projeto dela”, disse.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POR ONDE ANDA ?BARROS DE ALENCAR

BARROS DE ALENCAR POR ONDE ANDA ? Atualmente está participando do programa Kaká Siqueira na Rádio Record AM (1.000 kHz - São Paulo/SP), onde apresenta o quadro "Momento Barros de Alencar". BREVE HISTÓRICO: Comunicador, radialista, cantor e apresentador de TV. Paraíbano da cidade de Uiraúna, nasceu no dia 5 de agosto. Começou na Rádio Borburema, em Campina Grande - PB. Depois passou por Recife, Fortaleza e Belo Horizonte até chegar a cidade de São Paulo. Na Capital paulista passou pela antiga Rádio Tupi de São Paulo, Record e América. Na década de 80, comandou seu programa na TV Record, levando ao ar os grande sucessos musicais da época.

Povos indígenas no estado de Rondônia, fotos inéditas dos índios isolados do Acre

Povos indígenas no estado de Rondônia
Aikanã, Ajuru, Amondawa, Arara, Arikapu, Ariken, Aruá, Cinta Larga, Gavião, Jabuti, Kanoê, Karipuna, Karitiana, Kaxarari, Koiaiá, Kujubim, Makuráp, Mekén, Mutum, Nambikwara, Pakaanova, Paumelenho, Sakurabiat, Suruí, Tupari, Uru Eu Wau Wau, Urubu, Urupá
1-Povo Uru-Eu-Wau-Wau
A população da Terra indígena Uru-Eu-Wau-Wau é composta por vários subgrupos, como: Jupaú, Amondawa e Uru Pa In. Encontram-se distribuídos em 6 aldeias, nos limites da Terra Indígena, por questões de proteção e vigilância. Além destas etnias, há presença de índios isolados como os Parakuara e os Jurureís.
Os Jupaú traduzem sua autodenominação como "os que usam jenipapo". A denominação "Uru-eu-wau-wau" foi dada aos Jupaú pelos índios Oro-Uari.
Muitos foram os nomes atribuídos aos Uru-Eu-Wau-Wau. As denominações Bocas-Negras, Bocas-Pretas, Cautários, Sotérios, Cabeça-Vermelha, são encontradas na historiografia e estão relacionadas ao espaço geográfico ou a se…

MULHER ENTRA NUA EM CABINE DA PM E CONSTRANGE POLICIAIS MILITARES

MULHER ENTRA NUA EM CABINE DA PM E CONSTRANGE POLICIAIS MILITARES EM MANAUS Portal do Holanda