Pular para o conteúdo principal

Acre =Sibá Machado admite que não é desiquilibrado nem louco, apenas foi orientado por Lula e Dilma


Sibá Machado admite que não é desiquilibrado nem louco, apenas foi orientado por Lula e Dilma

Ray Melo - raymelo.ac@gmail.com06/11/2015 22:18:28

BOBO_01
Bom dia! Boa tarde! Boa noite!
EXTRA! EXTRA! O deputado Sibá Machado (PT) não adora ser notícia como a revista Veja informou. O líder da bancada petista na Câmara admite que suas ações teriam o aval dos cardeais do PT em nível nacional. Quando meus três leitores imaginavam que o nosso representante em Brasília tinha um parafuso a menos, ele surpreende a todos e afirma que é orientado pelo presidente do PT, Rui Falcão, pela presidente da República Dilma Rousseff (PT) e pelo ex-presidente Lula. A revelação aconteceu durante um bate-papo com jornalistas que fazem a cobertura dos trabalhados da Aleac, durante uma audiência para debater a PEC 395/14 que permite universidade pública cobrar por pós-graduação.
Estou me sentindo aliviado de saber que as patacoadas que Sibá Machado nunca teve vergonha escrever na sua página no facebook e dizer nos acalorados discursos no Congresso Nacional não são de sua autoria. Ele não informou de qual dos três líderes petistas partiu a ideia de chamar os manifestantes de vagabundos e ameaçar expulsa-los no pau. Será que foi de Lula o alerta que a agência americana CIA estava por trás dos protestos contra a presidente Dilma Rousseff? Será que foi Rui Falcão que orientou o líder da bancada a dizer em todas as entrevistas que o mensalão não existiu? De quem partiu a orientação para fazer a defesa dos “companheiros” envolvidos no Petrolão?
Leia o que Sibá Machado diz sobre sua linha de trabalho na Câmara dos Deputados. “A linha que eu trabalhei até aqui foi a que eu fiz um acordo com o presidente nacional do partido, Rui Falcão, com o ex-presidente Lula e com a presidenta Dilma Rousseff. Então, com os três que eu considero os líderes maiores do Partido dos Trabalhadores, fechamos um entendimento”. Para fechar com chave de ouro, o petista ainda falou sobre as pedaladas fiscais da administração do seu partido que resultou num rombo de bilhões: “pedalada é uma coisa que está mal resolvida do ponto legal, porque o Senado Federal até hoje não regulamentou. Então, como não está regulamentada pode ser utilizada”.

nada_01
Sem dinheiro, candidatos a prefeito de Rio Branco vão contar apenas com a ajuda da chuva
É, meus três leitores, definitivamente não estamos vivendo uma época de vacas gordas. O chororô é geral dos prefeitos que pretendem disputar uma reeleição. Mesmo com a máquina na mão, as tetas da administração pública não sustentariam os cabos eleitorais para campanha do ano que vem. As dificuldades financeiras são visíveis, mesmo com o esforço de aparecer para comunidade como se estivessem trabalhando. Muitas obras são lançadas, mas paralisadas em seguida, demonstrando que a maioria dos projetos desenvolvidos nas 22 cidades do Acre dependem exclusivamente das bênçãos da mamãe Dilma, mas a coisa não está fácil nem para a presidente que pedala, pedala e não sai do lugar.
Deixando as pedaladas bilionárias da petista de lado, vamos ao cenário da disputa eleitoral municipal. Sem dinheiro, os candidatos a prefeito de Rio Branco vão contar apenas com a ajuda da chuva. Tudo indica que a mídia da água vai ser a grande aliada dos blocos de situação, oposição e terceira via. Quando a questão é desfilar e fazer política dentro d’água, o prefeito Marcus Viana (PT) é craque, pensem num sujeito para gostar de fazer fotos molhado. A pré-candidata Eliane Sinhasique (PMDB), já apareceu com suas botinhas sete léguas. A dúvida fica em relação a pré-candidata do PSDB, a professora Socorro Neri, que terá que largar a sala de aula e mergulhar na campanha. Será que tucano se vira bem na água?
Quase esqueci do meu amigo e professor Tião Bocalom (DEM), que anda animado novamente com a possibilidade de mais uma disputa de um cargo executivo. Ele não tem problema em fazer o corpo a corpo aquático com nenhum dos candidatos citados acima, acredito até que é um adversário à altura do petista Marcus Viana, quando o assunto é molhar os pés e saudar o povo nas áreas de risco. Nas últimas disputas eleitorais, Bocalom já desceu tantas vezes na balsa rumo a Manacapuru, que não há água que assuste o quase pré-candidato do Democratas. Este blogueiro deixa apenas um aviso: quem não conta com “ruas do povo” de qualidade, o negócio é que botar o pé na água para pedir votos.
jonas_01O debate da PEC 395 na Aleac
Com o objetivo de discutir a PEC 395/14, que permite as universidades cobrarem por cursos de pós-graduação lato sensu (especialização) e de mestrado profissional, o deputado estadual Jonas Lima (PT) em parceria com o deputado federal Sibá Machado (PT), realizaram um audiência pública no plenário do Poder Legislativo, reunindo autoridades ligadas ao setor da educação e acadêmicos. O principal objetivo de Lima é dissipar o discurso de privatização do ensino superior que estava sendo amplamente divulgado nos corredores da Universidade Federal do Acre (UFAC), após Sibá votar a favor da proposta.
Jonas Lima ressalta que a PEC não é para privatizar as universidades e sim para abrir novos horizontes para as faculdades promoverem cursos para empresas que estejam interessadas em investir na capacitação de seus profissionais. “É importante à ampla discussão sobre o assunto e a garantia de que os mais pobres acessem a educação gratuita. A PEC 395 não veio abrir as portas para as privatizações, como muito estão pensando. As universidades continuam públicas, a população precisa separar o que é mestrado acadêmico de um mestrado profissional. Eu acredito que essa PEC vai ser bom para o crescimento do país”.
Acadêmicos e membros de movimentos estudantis questionaram algumas clausulas da PEC. Eles acreditam que a proposta estaria brindo precedentes para uma futura privatização das faculdades públicas brasileiras. Sibá Machado discorda deste ponto de vista. “O Brasil precisa melhorar sua legislação. Para avançar no quesito inovação é preciso aproximar a empresa inovadora da universidade. A PEC vem somente atender as demandas das empresas em avanços tecnológicos, pois a proposta não se mistura com os mestrados acadêmicos, ou seja, não oferece prejuízos à comunidade acadêmica”.
DELEGA_01O episódio que merece esclarecimento
O deputado federal Major Rocha (PSDB) esteve no Ministério Público Estadual do Acre (MPAC), conversando com o chefe da Promotoria Especializada de Controle Externo da Atividade Policial, o promotor Dayan Albuquerque, sobre a suposta prisão da sargento Uchoa, da Polícia Militar do Acre, que teria recebido voz de prisão de um delegado de Policia Civil, por se negar a dar o número de seu celular, após entregar um suspeito de assalto na Delegacia de Flagrantes. O tucano considera que a prisão foi arbitrária. Acompanhado de Rogério Silva, representante da A.M.E, Rocha disse que “não iremos tolerar que o agente de segurança pública sejam desrespeitados ou humilhados”. Rocha afirma que a policial só liberada após a chegada de seus superiores no local da prisão.
sabe_01Botando panos quentes
A Associação dos Delegados de Polícia Civil do Estado do Acre, divulgou uma nota numa tentativa de colocar panos quentes no episódio que envolveu a prisão da sargento PM. Eles consideram que a divulgação do caso é uma tentativa de causar atritos entre delegados e PMs. De acordo com a nota da associação, estão sendo divulgadas informações inverídicas. Que o delegado plantonista, “cumprindo determinação legal, requisitou uma informação que foi negada pela policial, momento em que foi instado, pelo delegado, a presença dos Gestores das duas instituições na Delegacia, para que mediante um diálogo sereno e pautado na cordialidade fosse resolvido a divergência pontual”. A nota nega ainda que o delegado tenha dado voz de prisão, mas que teve confusão, teve.
che-guevarraA fábrica da Coca-Cola fechou, mas não tem problema….
O Acre está próximo de se tornar o local dos sonhos dos socialistas, comunistas, símbolo da luta anti-imperialista americana. Finalmente, a fábrica da Coca-Cola fechou suas portas, desempregando 180 pessoas, mas não tem problema, nós temos as nossas pujantes iniciativas que transformaram nosso Estado na capital mundial da economia sustentável, modelo para os EUA, Alemanha, China, França, Peru, Itália, Israel e Marte. Recomendo ao governo do Acre criar um programa que absorva estes trabalhadores nas boas práticas ambientais criadas pela administração estadual. A meta é que tenhamos indústrias genuinamente acreanas. Já dominamos o mercado com nossa produção de frangos, surubins, tambaquis e porcos. É uma nova era industrial nascendo na terra do nunca.
Dicas de Filmes
Meus três leitores me perdoem, estou com preguiça de digitar a sinopse dos filmes, mas pelas capas vocês podem perceber que são excelentes dicas de entretenimento. Boa diversão.
Dicas_01

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POR ONDE ANDA ?BARROS DE ALENCAR

BARROS DE ALENCAR POR ONDE ANDA ? Atualmente está participando do programa Kaká Siqueira na Rádio Record AM (1.000 kHz - São Paulo/SP), onde apresenta o quadro "Momento Barros de Alencar". BREVE HISTÓRICO: Comunicador, radialista, cantor e apresentador de TV. Paraíbano da cidade de Uiraúna, nasceu no dia 5 de agosto. Começou na Rádio Borburema, em Campina Grande - PB. Depois passou por Recife, Fortaleza e Belo Horizonte até chegar a cidade de São Paulo. Na Capital paulista passou pela antiga Rádio Tupi de São Paulo, Record e América. Na década de 80, comandou seu programa na TV Record, levando ao ar os grande sucessos musicais da época.

Povos indígenas no estado de Rondônia, fotos inéditas dos índios isolados do Acre

Povos indígenas no estado de Rondônia
Aikanã, Ajuru, Amondawa, Arara, Arikapu, Ariken, Aruá, Cinta Larga, Gavião, Jabuti, Kanoê, Karipuna, Karitiana, Kaxarari, Koiaiá, Kujubim, Makuráp, Mekén, Mutum, Nambikwara, Pakaanova, Paumelenho, Sakurabiat, Suruí, Tupari, Uru Eu Wau Wau, Urubu, Urupá
1-Povo Uru-Eu-Wau-Wau
A população da Terra indígena Uru-Eu-Wau-Wau é composta por vários subgrupos, como: Jupaú, Amondawa e Uru Pa In. Encontram-se distribuídos em 6 aldeias, nos limites da Terra Indígena, por questões de proteção e vigilância. Além destas etnias, há presença de índios isolados como os Parakuara e os Jurureís.
Os Jupaú traduzem sua autodenominação como "os que usam jenipapo". A denominação "Uru-eu-wau-wau" foi dada aos Jupaú pelos índios Oro-Uari.
Muitos foram os nomes atribuídos aos Uru-Eu-Wau-Wau. As denominações Bocas-Negras, Bocas-Pretas, Cautários, Sotérios, Cabeça-Vermelha, são encontradas na historiografia e estão relacionadas ao espaço geográfico ou a se…

MULHER ENTRA NUA EM CABINE DA PM E CONSTRANGE POLICIAIS MILITARES

MULHER ENTRA NUA EM CABINE DA PM E CONSTRANGE POLICIAIS MILITARES EM MANAUS Portal do Holanda