Pular para o conteúdo principal

Atenção Argentina tenha cuidado com imigrantes

   Hoje já tem   imigrantes roubando as   pessoas nas Ruas de Buenos Aires.                                                                                                                               Veja  o que diz  o jornal   sobre imigrantes na Argentina                                                                                                                                                                                               (Jornal "Folha de São Paulo", 21 de fevereiro de 2000)
Conhecida como a mais européia das nações latino-americanas, a Argentina despertou para o xenofobismo, um sentimento latente nos países do velho continente. Ultimamente tem crescido a rejeição dos argentinos a imigrantes de países vizinhos, hoje o maior grupo estrangeiro no país.


"Está aparecendo uma xenofobia argentina contra cidadãos de países irmãos da América Latina", disse o ex-presidente em discurso diante da Embaixada da Áustria em Buenos Aires.

Para especialistas, o acirramento da xenofobia está ligado à crise econômica e ao desemprego da segunda metade do governo do ex-presidente Carlos Menem.

A rejeição aos imigrantes não é abraçada por partidos políticos ou grupos, mas está presente em manifestações públicas. Os cabelos negros, a pele morena e os traços indígenas dos "forasteiros" originários do Peru, da Bolívia e do Paraguai contrastam com as feições européias da maioria da população. Em partidas do Boca Juniors, clube de futebol mais popular do país, é comum os torcedores chamarem de "negros" os jogadores adversários de origem boliviana e peruana.

Outras manifestações são mais ostensivas. Tempos atrás, o sindicato que reúne os operários da construção civil espalhou cartazes por toda a Buenos Aires com os dizeres "que não nos roubem o pão nosso de cada dia". Era uma campanha contra a contratação da mão-de-obra imigrante.                                                                                                Hoje as pessoas  estão  perdendo suas compras e tantas outras  coisas nas ruas de Buenos  Aires  isso  não pode continuar.  isso é  uma vergonha  pra  População Argentina e uma  boa  parte dessa gente  ou toda  essa gente que  aqui rouba  são  os  imigrantes. gosto do  muito da Argentina  por  conta destas coisas  agente  fica  lamentando  o fato esperando  que as autoridades  vejam isso com  toda atenção,Edizo LIma     

Pela primeira vez, o censo argentino, que será realizado em outubro, deverá mostrar que a comunidade de imigrantes de países limítrofes ultrapassou com larga vantagem a quantidade de imigrantes europeus, segundo a Organização Internacional para as Migrações (OIM), um organismo intergovernamental.

As estimativas da entidade indicam que os chamados imigrantes limítrofes estão ao redor de 1,1 milhão a 1,2 milhão de pessoas, o equivalente a 3% da população total do país. Os estrangeiros de outra origem -predominantemente europeus- são menos de 800 mil. No último censo, de 1991, as duas comunidades apresentavam um certo equilíbrio.

"A entrada de europeus parou na década de 50, enquanto as populações latinas cresceram desde então, mantendo um fluxo constante", diz Lelio Marmora, representante da OIM para Argentina, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai. A Argentina recebe cerca de 50 mil novos estrangeiros por ano, legais e ilegais. Cerca de 90% dos imigrantes são de países vizinhos. Boa parte -não existem números oficiais- permanece na ilegalidade, devido à facilidade de entrada e à burocracia para tirar o visto.

"Nas classes mais baixas, os imigrantes limítrofes são vistos como mão-de-obra concorrente. Nas classes médias, há a crença de que os imigrantes são delinquentes", diz o defensor público da cidade de Buenos Aires, Alejandro Nató, que cuida de casos de exploração dos trabalhadores imigrantes.

Na opinião de especialistas, o que atrai outros latino-americanos à Argentina é justamente a imagem de um país europeizado e o mais rico entre os países latinos de língua espanhola. Por causa da crise, essa imagem desbotou, contribuindo para a xenofobia: a Argentina enfrenta um desemprego de 14%, enquanto outros 40% dos trabalhadores vivem na economia informal.
 
"Antes, o imigrante chegava para contribuir para o crescimento do país. Hoje é visto como alguém que chega para roubar o trabalho do argentino", . hoje muitos imigrantes chegam  aqui é  pra roubar   os  turistas  mesmo .então amigos  vamos  pedir  toda atenção da Policia  Argentina  uma Policia  boa  educada   que  retire essas pessoas  das ruas  desta maravilhosa cidade , só assim  os  turista  irão   cada dia  falar  bem   desta Argentina querida . 
 eu acredito que  este pais   viverá  dias melhores no  Futuro  certamente   é isso  que  eu espero  e  toda população deste  pais  e principalmente de  Buenos  Aires  onde  está  o mair  numero de turistas  que  vem  aqui pra ver  de  perto  o.  Tango e  fazer  suas compras, fica  meu  abraços   aos  amigos da Grande  Buenos   querida  que  tanto  amo  e tanho  defendido   que  aqui  se faz Justiça , que  as coisas  não mudam  de nome  por isso  ou  por aquilo  e não será  um  ladrãozinho  qualquer que  ira  fazer com que eu  mude meu ponto de vista  sobre Buenos  Aires .   gosto desta  gente e  vou  continuar  gostando  pela vida inteira.  sim viu muitos senegaleses e haitianos  trabalho    e   não eles os ladrões   de  turistas  e  sim são trabalhadores.   os   que  assaltam são de outros  lugares   Edizio Lima...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POR ONDE ANDA ?BARROS DE ALENCAR

BARROS DE ALENCAR POR ONDE ANDA ? Atualmente está participando do programa Kaká Siqueira na Rádio Record AM (1.000 kHz - São Paulo/SP), onde apresenta o quadro "Momento Barros de Alencar". BREVE HISTÓRICO: Comunicador, radialista, cantor e apresentador de TV. Paraíbano da cidade de Uiraúna, nasceu no dia 5 de agosto. Começou na Rádio Borburema, em Campina Grande - PB. Depois passou por Recife, Fortaleza e Belo Horizonte até chegar a cidade de São Paulo. Na Capital paulista passou pela antiga Rádio Tupi de São Paulo, Record e América. Na década de 80, comandou seu programa na TV Record, levando ao ar os grande sucessos musicais da época.

Povos indígenas no estado de Rondônia, fotos inéditas dos índios isolados do Acre

Povos indígenas no estado de Rondônia
Aikanã, Ajuru, Amondawa, Arara, Arikapu, Ariken, Aruá, Cinta Larga, Gavião, Jabuti, Kanoê, Karipuna, Karitiana, Kaxarari, Koiaiá, Kujubim, Makuráp, Mekén, Mutum, Nambikwara, Pakaanova, Paumelenho, Sakurabiat, Suruí, Tupari, Uru Eu Wau Wau, Urubu, Urupá
1-Povo Uru-Eu-Wau-Wau
A população da Terra indígena Uru-Eu-Wau-Wau é composta por vários subgrupos, como: Jupaú, Amondawa e Uru Pa In. Encontram-se distribuídos em 6 aldeias, nos limites da Terra Indígena, por questões de proteção e vigilância. Além destas etnias, há presença de índios isolados como os Parakuara e os Jurureís.
Os Jupaú traduzem sua autodenominação como "os que usam jenipapo". A denominação "Uru-eu-wau-wau" foi dada aos Jupaú pelos índios Oro-Uari.
Muitos foram os nomes atribuídos aos Uru-Eu-Wau-Wau. As denominações Bocas-Negras, Bocas-Pretas, Cautários, Sotérios, Cabeça-Vermelha, são encontradas na historiografia e estão relacionadas ao espaço geográfico ou a se…

MULHER ENTRA NUA EM CABINE DA PM E CONSTRANGE POLICIAIS MILITARES

MULHER ENTRA NUA EM CABINE DA PM E CONSTRANGE POLICIAIS MILITARES EM MANAUS Portal do Holanda