Pular para o conteúdo principal

Traição no Quinari =Peguei uma rasteira do pastor Pedro Abreu e do deputado Jairo Carvalho”, diz James Gomes

“Peguei uma rasteira do pastor Pedro Abreu e do deputado Jairo Carvalho”, diz James Gomes

Ray Melo, da editoria de política de ac24horas – raymelo.ac@gmail.com16/11/2015 11:57:08
ac
“Peguei uma rasteira do pastor Pedro Abreu e do deputado Jairo Carvalho”, diz James Gomes
O prefeito de Senador Guiomard (o Quinari), James Gomes (PP) considera que foi traído por dois de seus principais aliados políticos na terra do amendoim. Gomes afirma que o lançamento da pré-candidatura a prefeito de André Maia pelo PSD é a quebra de uma aliança forjada na disputa eleitoral de 2014. “Peguei uma rasteira do pastor Pedro Abreu e do deputado Jairo Carvalho”, dispara James.
Segundo o prefeito progressista, tanto Carvalho quando Abreu, “não conversaram comigo, já chegaram com tudo pronto, só para informar que seria André Maia o candidato deles. Eles queriam que eu apresentasse o vice na chapa do André, mas eu não aceitei. O combinado foi eles apoiarem meu candidato, mas estão justificando a traição como fortalecimento do PSD”, enfatiza Gomes.
James Gomes desabafa e diz que colocou o pé na estrada para pedir votos para eleger Jairo Carvalho. “Fiz de tudo por ele aqui no Quinari onde ele teve 1.300 votos e ajuda financeira. O que está movendo este ato de Jairo Carvalho é pura ambição, ele deixou o projeto político coletivo defendido pelo nosso grupo de lado para colocar um projeto pessoal na rua. Esta é a realidade”.
Ele afirma que está procurado seus amigos para pedir desculpa pelo voto que pediu para Jairo Carvalho, que por sua vez é genro do pastor Pedro Abreu, uma liderança da Assembleia de Deus, que vem buscando espaço político para suas ovelhas. “Sem contar que eu sempre fui da igreja do pastor Pedro Abreu, sempre ajudei os projetos em tudo que estava a meu alcance”, destaca James Gomes.
“Peço desculpas aos meus amigos e aliados políticos que votaram no deputado Jairo Carvalho, através de meu pedido. Estou muito decepcionado com pastor Pedro Abreu. Ao apoiar Jairo pedi três coisas: que não se vendesse para PT, pagar um pouco das dívidas de campanha que contraí e que apoiasse meu candidato a prefeito em 2016 – mas não mantiveram a palavra”, reclama James.
O prefeito James Gomes destaca que todas as promessas de Pedro Abreu e Jairo Carvalho foram deixadas de lado e eles assumiram uma aliança política com dois adversários políticos declarados de sua administração. “Fazer aliança com meus inimigos políticos André Maia e o vereador Manoel Lima, isso é uma tremenda deslealdade, uma traição que estou entregando para Deus”, finaliza.

Comentários

  1. O Voto Distrital é um sistema eleitoral que irá melhorar a forma como você elege um político e acompanha o que ele faz. Hoje temos um enorme problema onde mais de 90% dos deputados são eleitos sem votação própria. Com o Voto Distrital podemos mudar isto e diminuir as chances de corrupção além de fortalecer a relação entre político e cidadão.

    ResponderExcluir
  2. Que a política é a arte de enganar, já sabemos. Os políticos e seus marqueteiros manipulam as emoções das pessoas, seus desejos mais íntimos, com o único objetivo de chegar ao poder. Quanto mais limitada intelectualmente for a população, mais a emoção funcionará na hora de pedir votos.

    Por isso, no Brasil, a ferramenta mais eficaz da campanha é a manipulação das emoções. Pelo menos, 70%dos nossos eleitores não têm o primeiro grau; eles são o alvo preferido dos marqueteiros,pois são mais influenciáveis e agem mais com o coração que com a razão.

    Mostrar as dificuldades do país, com gráficos, estudos técnicos, discutir soluções e apresentar planos de governo, alguns antipáticos, embora necessário, não funciona. Então, apostemos nas emoções e sua maior máquina: a TV; um discurso emocionado, flamejante, igual, salvador, cheio de promessas, heróico, populista é a fórmula eficaz de se ganhar votos, no Brasil. Mas, não é apenas emoção;

    Temos que acrescentar alguma coisa racional, também; um candidato a governador percebe que o povo deseja ter casa própria; então, dirigirá sua campanha para esse tema. Se os eleitores sinalizarem que desejam acabar com a corrupção, haja diatribes contra os corruptos; ele, não, ele tem as mãos limpas: nunca as tirou de dentro do bolso.

    Como os orçamentos públicos estão aquém das necessidades, os candidatos são aconselhados a prometer, sem mostrar de onde vão tirar recursos. Vergonha não existe: o sujeito promete tudo; aqui na Bahia, soube que tem um candidato nanico que está prometendo transporte gratuito para estudantes; só que se esqueceu de combinar com os russos, como diria Garrincha, ou seja, com os donos das empresas, que, junto com os mangangões do lixo, são os principais financiadores de campanha dos prefeitos.

    As promessas, acompanhadas das críticas á atual administração, é pau, casca: rende muitos votos; depois, ninguém vai lhes cobrar as promessas. È isso que eles querem.

    Se nós votássemos com a cabeça em vez de votar com o coração, procurando conhecer os candidatos, seus antecedentes e seus valores, certamente melhoraríamos nosso país. Vamos rezar para que os eleitores mudem seus conceitos.

    É inacreditável a facilidade que os políticos brasileiros têm para enganar os eleitores. Com certeza, não existe político tão capaz como os brasileiros nesta arte de enganar, exigir voto e ainda não receber nenhuma cobrança de quem paga os seus salários, que correspondem muitas vezes a salários dos artistas mais famosos do mundo.

    E a melhor forma de analisar esta relação entre políticos e eleitores no país do futebol – outra fonte de corrupção – é analisar a carga tributaria brasileira, uma das mais altas do planeta, sem a contrapartida de serviços públicos dignos.


    Hoje, o brasileiro, como um cordeirinho, trabalha cinco meses apenas para pagarem impostos, apesar de não ter saúde, educação, transportes e nem segurança para a sua família. Se o brasileiro quiser ter tudo isso de forma digna terá que pagar. Um absurdo que só podia mesmo co-existir com corrupção e escândalos políticos.


    O Impostômetro, ferramenta que registra a quantia que o brasileiro paga de impostos aos governos federal, estadual e municipal, atingiu a astronômica marca de R$ 900 bilhões, conforme estimativa do IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário) e da ACSP (Associação Comercial de São Paulo).

    Conforme destaca a ACSP, está havendo uma “antecipação voraz na arrecadação tributária” neste ano. Segundo o Impostômetro, em 2011, os R$ 900 bilhões de impostos só foram alcançados em 21 de setembro, mais de um mês mais tarde.

    Portanto, pagar imposto é um dever do cidadão, mas, cabe ao político oferecer serviços de qualidade. O contrário disso é roubo Na Cara dura.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

POR ONDE ANDA ?BARROS DE ALENCAR

BARROS DE ALENCAR POR ONDE ANDA ? Atualmente está participando do programa Kaká Siqueira na Rádio Record AM (1.000 kHz - São Paulo/SP), onde apresenta o quadro "Momento Barros de Alencar". BREVE HISTÓRICO: Comunicador, radialista, cantor e apresentador de TV. Paraíbano da cidade de Uiraúna, nasceu no dia 5 de agosto. Começou na Rádio Borburema, em Campina Grande - PB. Depois passou por Recife, Fortaleza e Belo Horizonte até chegar a cidade de São Paulo. Na Capital paulista passou pela antiga Rádio Tupi de São Paulo, Record e América. Na década de 80, comandou seu programa na TV Record, levando ao ar os grande sucessos musicais da época.

Povos indígenas no estado de Rondônia, fotos inéditas dos índios isolados do Acre

Povos indígenas no estado de Rondônia
Aikanã, Ajuru, Amondawa, Arara, Arikapu, Ariken, Aruá, Cinta Larga, Gavião, Jabuti, Kanoê, Karipuna, Karitiana, Kaxarari, Koiaiá, Kujubim, Makuráp, Mekén, Mutum, Nambikwara, Pakaanova, Paumelenho, Sakurabiat, Suruí, Tupari, Uru Eu Wau Wau, Urubu, Urupá
1-Povo Uru-Eu-Wau-Wau
A população da Terra indígena Uru-Eu-Wau-Wau é composta por vários subgrupos, como: Jupaú, Amondawa e Uru Pa In. Encontram-se distribuídos em 6 aldeias, nos limites da Terra Indígena, por questões de proteção e vigilância. Além destas etnias, há presença de índios isolados como os Parakuara e os Jurureís.
Os Jupaú traduzem sua autodenominação como "os que usam jenipapo". A denominação "Uru-eu-wau-wau" foi dada aos Jupaú pelos índios Oro-Uari.
Muitos foram os nomes atribuídos aos Uru-Eu-Wau-Wau. As denominações Bocas-Negras, Bocas-Pretas, Cautários, Sotérios, Cabeça-Vermelha, são encontradas na historiografia e estão relacionadas ao espaço geográfico ou a se…

MULHER ENTRA NUA EM CABINE DA PM E CONSTRANGE POLICIAIS MILITARES

MULHER ENTRA NUA EM CABINE DA PM E CONSTRANGE POLICIAIS MILITARES EM MANAUS Portal do Holanda