Pular para o conteúdo principal

História do Futebol -CE

TOM BARROS
00:00 · 02.01.2015
Um dia a casa cai
Faltam apenas 12 dias para o início do Campeonato Cearense. Contagem regressiva. Uma expectativa especial: será que desta vez uma equipe do interior finalmente ganhará em campo o título estadual? Há quem não acredite no fim desse tabu. As circunstâncias são claras: as estruturas e condições financeiras de Ceará e Fortaleza são bem superiores aos dos demais concorrentes. Portanto, diferença assim acaba pesando na hora da decisão. Há, porém, um provérbio que diz: um dia a casa cai. Bom, se cairá agora em 2015 não sei, mas tudo é possível. E entendo que não demorará muito acontecer a guinada, máxime para polos de desenvolvimentos como Juazeiro e Sobral. Outro detalhe: Horizonte, na região metropolitana, está realizando criteriosa preparação.
Explicação
Quando digo "ganhar em campo" um título estadual, cuido logo de dar a explicação: há titulo no tapetão, fora de campo. O Icasa foi campeão cearense em 1992, mas numa composição em que a FCF proclamou quatro campeões: Fortaleza, Ceará, Icasa e Tiradentes. Em campo, bola rolando, dos atuais disputantes só Ceará e Fortaleza foram campeões.
Dois campeões
O Estado de São Paulo também melou. Em 1973 Santos e Portuguesa foram proclamados campeões paulistas. Em campo a decisão tinha ido para os pênaltis. O árbitro Armando Marques errou a contagem e encerrou a série, dando o Santos como vencedor, pois este abrira dois gols de diferença. A Federação teve de corrigir o erro e proclamou dois campeões.
O mais antigo campeão
A partir da esquerda: ex-goleiro Milton Luciano Cavalcante Gomes, o mais antigo campeão cearense vivo. Ganhou o título em 1940 pelo Tramways, time extinto no ano seguinte. Ao seu lado, Pedrinho Simões, ex-goleiro campeão cearense pelo Gentilândia em 1956 e vice-campeão da Taça Brasil pelo Fortaleza em 1960. Milton Luciano está muito bem de saúde. Completou 91 anos no ano passado. É coronel reformado do Exército Brasileiro e economista.
Redução
As chances para os times do interior aumentam na medida em que diminue o número de representantes da capital. Nas décadas de 1950 e 1960, a capital tinha na primeira divisão cearense Fortaleza, Ceará, Ferroviário, Nacional, Calouros do Ar, América, Gentilândia e Usina Ceará. Portanto, oito clubes. Hoje apenas dois.
Campeões
Nas décadas de 1950 e 1960, não apenas Ceará, Fortaleza e Ferroviário ganharam os títulos estaduais. Em três oportunidades perderam a competição. Em 1955, o Calouros foi campeão. Em 1956, o Gentilândia ganhou o título. Em 1966 foi a vez do América ser campeão cearense. O América fora também campeão em 1935.
Ídolo maior
Na história do certame cearense, Gildo (foto) é festejado como ídolo maior. Ele mora perto do PV. Em dezembro passado, teve seu nome registrado na Calçada da Fama no Castelão. O recorde de gols num só certame é de Sandro Preigschadt (39gols em 1997). Mas Marciano (ex-Leão e ex-Ceará) detém o recorde geral de todos os campeonatos: 98 gols.
A descida. Da década de 1950 para cá, quatro times que já conquistaram em campo o título de campeão cearense não mais pertencem à primeira divisão. O Gentilândia (campeão de 1956) foi extinto. O Calouros do Ar (campeão de 1955) e o América (campeão de 1935 e campeão de 1966) estão penando nas divisões inferiores. O Ferroviário (campeão de 1945, 1950, 1952, 1968, 1970, 1979, 1988, 1994 e 1995) caiu para a segunda divisão em 2014. Portanto, mais chances para os times do interior.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POR ONDE ANDA ?BARROS DE ALENCAR

BARROS DE ALENCAR POR ONDE ANDA ? Atualmente está participando do programa Kaká Siqueira na Rádio Record AM (1.000 kHz - São Paulo/SP), onde apresenta o quadro "Momento Barros de Alencar". BREVE HISTÓRICO: Comunicador, radialista, cantor e apresentador de TV. Paraíbano da cidade de Uiraúna, nasceu no dia 5 de agosto. Começou na Rádio Borburema, em Campina Grande - PB. Depois passou por Recife, Fortaleza e Belo Horizonte até chegar a cidade de São Paulo. Na Capital paulista passou pela antiga Rádio Tupi de São Paulo, Record e América. Na década de 80, comandou seu programa na TV Record, levando ao ar os grande sucessos musicais da época.

Povos indígenas no estado de Rondônia, fotos inéditas dos índios isolados do Acre

Povos indígenas no estado de Rondônia
Aikanã, Ajuru, Amondawa, Arara, Arikapu, Ariken, Aruá, Cinta Larga, Gavião, Jabuti, Kanoê, Karipuna, Karitiana, Kaxarari, Koiaiá, Kujubim, Makuráp, Mekén, Mutum, Nambikwara, Pakaanova, Paumelenho, Sakurabiat, Suruí, Tupari, Uru Eu Wau Wau, Urubu, Urupá
1-Povo Uru-Eu-Wau-Wau
A população da Terra indígena Uru-Eu-Wau-Wau é composta por vários subgrupos, como: Jupaú, Amondawa e Uru Pa In. Encontram-se distribuídos em 6 aldeias, nos limites da Terra Indígena, por questões de proteção e vigilância. Além destas etnias, há presença de índios isolados como os Parakuara e os Jurureís.
Os Jupaú traduzem sua autodenominação como "os que usam jenipapo". A denominação "Uru-eu-wau-wau" foi dada aos Jupaú pelos índios Oro-Uari.
Muitos foram os nomes atribuídos aos Uru-Eu-Wau-Wau. As denominações Bocas-Negras, Bocas-Pretas, Cautários, Sotérios, Cabeça-Vermelha, são encontradas na historiografia e estão relacionadas ao espaço geográfico ou a se…

MULHER ENTRA NUA EM CABINE DA PM E CONSTRANGE POLICIAIS MILITARES

MULHER ENTRA NUA EM CABINE DA PM E CONSTRANGE POLICIAIS MILITARES EM MANAUS Portal do Holanda