Pular para o conteúdo principal

Prefeita desviou R$ 15 milhões da Educação e Saúde


Prefeita desviou R$ 15 milhões da Educação e Saúde; policial atuava como médico e fez cirurgias

João Renato JácomeAgentes da Polícia Federal (PF) do Acre cumpriram, nesta segunda-feira, 09, nos estados do Acre e Amazonas, 49 mandados de busca, prisão e apreensão, durante a “Operação Cartas Chilenas”. Dois aviões e um helicóptero foram usados durante os trabalhos da polícia judiciária federal. Uma prefeita do interior amazonense, além de secretários e servidores, foram presos.
3a17a5d1-a98b-4fb7-bde8-c1b6ddce3dc0
Segundo o delegado Daniel Color, responsável pelas investigações, foram expedidos três mandados de prisão preventiva, 17 conduções coercitivas e 24 mandados de busca e apreensão. Outras cinco medidas cautelares foram determinadas pelo Poder Judiciário, no intuito de afastar agentes públicos de funções na estrutura municipal. A investigação contou com o apoio da Controladoria Geral da União (CGU).
Das medidas judiciais, apenas quatro foram cumpridas no Acre, sendo todos de busca e apreensão: Brasiléia (1) Epitaciolândia (1) e Rio Branco (2). A operação teve por objetivo combater e desarticular uma organização criminosa que agia para desviar verbas públicas em Pauini, no Amazonas.
“As medidas que estão sendo cumpridas hoje podem chegar a um montante muito maior. Esses agentes são investigados por falsificação de documentos, crime organizado, crimes específicos do decreto-lei que trata da responsabilidade dos prefeitos, além da ocultação de patrimônios e valores. Quem sacava essas verbas eram os ordenadores de despesa do município”, comentou o investigador.
A organização criminosa era liderada pela prefeita da cidade que, com o auxílio de alguns secretários de governo, desviara quantias substanciais de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (FUNDEB); do Sistema Único de Saúde (SUS) e do DSEI (Distrito Sanitário Especial Indígena)- verba utilizada para cuidar da saúde de povos indígenas.
O todo, os investigados identificaram fraudes em 64 licitações investigadas. Destas, 44 foram, comprovadamente, fraudadas, apontando um desvio que chega à casa dos R$ 15 milhões. Para fraudar os processos, apontou a PF, o grupo criminoso se utilizava de nomes de pessoas e empresas que eram colhidos aleatoriamente e que, sequer tinham conhecimento da licitação ou dos políticos envolvidos.
Para Marcelo Souza, chefe da CGU do Amazonas “a situação é realmente absurda. Os selos do cartório foram fraudados. O próprio Tribunal de Justiça do Amazonas confirmou isso. Já há inclusive um processo administrativo para investigar o cartório da cidade. Vamos continuar com as investigações. A cidade se encontra hoje num caos, abandonada, sem asfasltamento. O dinheiro chegou no município. Que o próximo governante que entrar não cometa os mesmos erros”, afirmou o membro da CGU.
O ESQUEMA DE FRAUDES
Para fraudar as licitações, o grupo criminoso se utilizava de nomes de pessoas e empresas que eram colhidos aleatoriamente e que, sequer tinham conhecimento da licitação ou dos políticos envolvidos. A organização criminosa preenchia os documentos com nomes aleatórios e publicava a licitação simulando falsos pagamentos. Durante as investigações, os Policiais Federais constataram que as ambulâncias que deveriam servir aos cidadãos do município teriam sido desmontadas e suas peças vendidas por um dos secretários da prefeitura.
Outro fato que surpreendeu os Policiais é que a quase totalidade de médicos que atendem no município não estão registrados no Conselho Regional de Medicina e, portanto, não poderiam exercer a profissão. A maioria desses profissionais irregulares foi contratada pela prefeitura, recebendo um salário médio de R$ 20.000,00 Reais, fato que está sendo investigado pelos Policias Federais que devem suspender as atividades de todos os médicos que exercem ilegalmente a profissão na cidade.
Os investigados responderão pelos crimes de corrupção ativa e passiva, organização criminosa, lavagem de dinheiro, peculato, crimes de responsabilidade, dispensa indevida de licitação, falsificação de documentos públicos e exercício ilegal da medicina.

MAIS LIDAS


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POR ONDE ANDA ?BARROS DE ALENCAR

BARROS DE ALENCAR POR ONDE ANDA ? Atualmente está participando do programa Kaká Siqueira na Rádio Record AM (1.000 kHz - São Paulo/SP), onde apresenta o quadro "Momento Barros de Alencar". BREVE HISTÓRICO: Comunicador, radialista, cantor e apresentador de TV. Paraíbano da cidade de Uiraúna, nasceu no dia 5 de agosto. Começou na Rádio Borburema, em Campina Grande - PB. Depois passou por Recife, Fortaleza e Belo Horizonte até chegar a cidade de São Paulo. Na Capital paulista passou pela antiga Rádio Tupi de São Paulo, Record e América. Na década de 80, comandou seu programa na TV Record, levando ao ar os grande sucessos musicais da época.

Povos indígenas no estado de Rondônia, fotos inéditas dos índios isolados do Acre

Povos indígenas no estado de Rondônia
Aikanã, Ajuru, Amondawa, Arara, Arikapu, Ariken, Aruá, Cinta Larga, Gavião, Jabuti, Kanoê, Karipuna, Karitiana, Kaxarari, Koiaiá, Kujubim, Makuráp, Mekén, Mutum, Nambikwara, Pakaanova, Paumelenho, Sakurabiat, Suruí, Tupari, Uru Eu Wau Wau, Urubu, Urupá
1-Povo Uru-Eu-Wau-Wau
A população da Terra indígena Uru-Eu-Wau-Wau é composta por vários subgrupos, como: Jupaú, Amondawa e Uru Pa In. Encontram-se distribuídos em 6 aldeias, nos limites da Terra Indígena, por questões de proteção e vigilância. Além destas etnias, há presença de índios isolados como os Parakuara e os Jurureís.
Os Jupaú traduzem sua autodenominação como "os que usam jenipapo". A denominação "Uru-eu-wau-wau" foi dada aos Jupaú pelos índios Oro-Uari.
Muitos foram os nomes atribuídos aos Uru-Eu-Wau-Wau. As denominações Bocas-Negras, Bocas-Pretas, Cautários, Sotérios, Cabeça-Vermelha, são encontradas na historiografia e estão relacionadas ao espaço geográfico ou a se…

MULHER ENTRA NUA EM CABINE DA PM E CONSTRANGE POLICIAIS MILITARES

MULHER ENTRA NUA EM CABINE DA PM E CONSTRANGE POLICIAIS MILITARES EM MANAUS Portal do Holanda