Pular para o conteúdo principal

Justiça determina junta médica para avaliar Hildebrando Pascoal no AC

Justiça determina junta médica para avaliar Hildebrando Pascoal no AC

Pedido de prisão domiciliar encontra-se pendente, afirmou Execuções Penais.
Segundo juíza, preso ainda está internado em hospital na capital acreana.

Do G1 AC
Hildebrando foi internado no hospital de Rio Branco nesta segunda-feira (10) (Foto: Gleyciano Rodrigues/ Arquivo pessoal)Hildebrando ainda está internado em Rio Branco
(Foto: Gleyciano Rodrigues/ Arquivo pessoal)
A Vara de Execuções Penais (VEP) indicou os nomes dos profissionais que vão formar uma  junta médica para avaliar o estado de saúde de Hildebrando Pascoal, condenado pelo que ficou conhecido como "Crime da Motosserra". A determinação foi publicada no Diário da Justiça e assinada pela juíza Luana Campos, responsável pela vara.
G1 tentou contato com a família, a médica que acompanha o ex-coronel e com o Instituto de Administração Penitenciária (Iapen) para saber qual o estado de saúde atual de Hildebrando Pascoal, mas não teve resposta até a publicação desta matéria.
De acordo com o documento, a juíza nomeou três médicos - um cardiologista, um ortopedista e um clínico geral - para fazer o atendimento de Pascoal, que ainda encontra-se internado na Santa Casa em Rio Branco, local onde a perícia deve ser realizada.
A decisão explica que a constituição de uma junta médica se deu para analisar o estado de saúde de Pascoal por encontrar-se "pendente de apreciação pedido de prisão domiciliar formulado pela defesa".
A demora no procedimento, conforme a juíza, ocorreu porque todos os médicos indicados até então "se recusaram a realizar a citada perícia sob o argumento de foro íntimo". Segundo a determinação, não foi determinada uma data para a realizar a avaliação, mas o preso ainda aguarda resultados de exames do cardiologista, que já chegou a consultá-lo.

Conforme boletim médico, divulgado no início deste ano, Pascoal passou a apresentar complicações de saúde, necessitando receber diversas medicações como sedativos, analgésicos e antidepressivos. Entre os problemas, o preso apresentava hipertensão, diabetes e doenças degenerativas da coluna vertebral, que ocasionam dores e dificuldade para andar.
'Caso Motosserra'
Em 30 de junho de 1996, Itamar Pascoal, irmão de Hildebrando, foi morto com um tiro por José Hugo e Agilson Santos Firmino, o "baiano", teria presenciado a cena. A partir disso, Pascoal, que era coronel da PM, teria agido por vingança. Firmino então foi morto e esquartejado com uma motosserra.
O filho de Firmino, Wilder Firmino tinha 13 anos na época e também foi sequestrado e morto. O corpo do adolescente foi encontrado queimado por ácido. Em 2009, Pascoal foi condenado pela morte de Agilson Firmino, o 'Baiano', caso que ficou conhecido popularmente como 'Crime da Motosserra'. As condenações todas somam mais de 100 anos.
O ex-deputado voltou a ter destaque no começo de agosto de 2015, depois de ter um pedido de progressão de regime para o semiaberto aprovado pela Vara de Execuções Penais. No entanto, o pedido foi cassado no mesmo dia.
Histórico
Acusado de chefiar um grupo de extermínio no Acre, Hildebrando Pascoal Nogueira Neto cumpre pena em Rio Branco por tráfico, tentativa de homicídio e corrupção eleitoral.
Ele nasceu em 17 de janeiro de 1952 em Rio Branco, no Acre, fez carreira na Polícia Militar e chegou a ser comandante da instituição. Em 1994, elegeu-se deputado estadual pelo PFL e exerceu o mandato entre 1995 e 1999. Nas eleições de 1998, conquistou o cargo de deputado federal, mas não chegou a cumprir nem um ano do mandato.
Após diversas denúncias contra Hildebrando Pascoal na Justiça do Acre, o Congresso formou uma comissão parlamentar de inquérito em abril de 1999, chamada CPI do Narcotráfico.
A CPI e o Ministério Público investigavam a existência de um grupo de extermínio no Acre, com a participação de policiais, e que seria comandado por Hildebrando Pascoal. O grupo também era acusado de tráfico de drogas.
tópicos:
veja também

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POR ONDE ANDA ?BARROS DE ALENCAR

BARROS DE ALENCAR POR ONDE ANDA ? Atualmente está participando do programa Kaká Siqueira na Rádio Record AM (1.000 kHz - São Paulo/SP), onde apresenta o quadro "Momento Barros de Alencar". BREVE HISTÓRICO: Comunicador, radialista, cantor e apresentador de TV. Paraíbano da cidade de Uiraúna, nasceu no dia 5 de agosto. Começou na Rádio Borburema, em Campina Grande - PB. Depois passou por Recife, Fortaleza e Belo Horizonte até chegar a cidade de São Paulo. Na Capital paulista passou pela antiga Rádio Tupi de São Paulo, Record e América. Na década de 80, comandou seu programa na TV Record, levando ao ar os grande sucessos musicais da época.

Povos indígenas no estado de Rondônia, fotos inéditas dos índios isolados do Acre

Povos indígenas no estado de Rondônia
Aikanã, Ajuru, Amondawa, Arara, Arikapu, Ariken, Aruá, Cinta Larga, Gavião, Jabuti, Kanoê, Karipuna, Karitiana, Kaxarari, Koiaiá, Kujubim, Makuráp, Mekén, Mutum, Nambikwara, Pakaanova, Paumelenho, Sakurabiat, Suruí, Tupari, Uru Eu Wau Wau, Urubu, Urupá
1-Povo Uru-Eu-Wau-Wau
A população da Terra indígena Uru-Eu-Wau-Wau é composta por vários subgrupos, como: Jupaú, Amondawa e Uru Pa In. Encontram-se distribuídos em 6 aldeias, nos limites da Terra Indígena, por questões de proteção e vigilância. Além destas etnias, há presença de índios isolados como os Parakuara e os Jurureís.
Os Jupaú traduzem sua autodenominação como "os que usam jenipapo". A denominação "Uru-eu-wau-wau" foi dada aos Jupaú pelos índios Oro-Uari.
Muitos foram os nomes atribuídos aos Uru-Eu-Wau-Wau. As denominações Bocas-Negras, Bocas-Pretas, Cautários, Sotérios, Cabeça-Vermelha, são encontradas na historiografia e estão relacionadas ao espaço geográfico ou a se…

MULHER ENTRA NUA EM CABINE DA PM E CONSTRANGE POLICIAIS MILITARES

MULHER ENTRA NUA EM CABINE DA PM E CONSTRANGE POLICIAIS MILITARES EM MANAUS Portal do Holanda