Pular para o conteúdo principal

Estrada do aeroporto de Rio Branco na escuridão

Escuridão favorece acidentes e criminalidade na Via Verde e estrada do aeroporto

Motoristas e motociclistas relaram o medo de transitar nas vias sem iluminação
0
A partir do Distrito Industrial, a escuridão total predomina até a comunidade Custódio Freire. São cerca de oito quilômetros sem iluminação pública. Dali em diante, até o Aeroporto Internacional de Rio Branco, outro longo trecho representa perigo a motoristas, pedestres, ciclistas e motoqueiros, também em razão da iluminação inexistente.
“Eu voltava do aeroporto quando senti uma pancada na traseira do meu carro. Não parei. Depois vi nas redes sociais que um grupo de marginais faz assaltos ali na subida da ladeira da Custódio Freire, onde existe um radar e a gente é obrigado a reduzir a velocidade para 40 KM-h”, disse a comerciante Francelina Gonçalves dos Santos. A mulher decidiu evitar a viagem durante a noite em direção ao município do Bujari e ao aeroporto.
Confira o vídeo gravado pela reportagem da Folha do Acre:
Outra região escura que impõe muito medo à população é a Via Verde. Após a UPA do Segundo Distrito são três quilômetros sem iluminação até chegar ao loteamento Amapá.
“Vim passear com meu neto por que ainda é cedo. Ninguém é doido pra se expor tanto. Sem a companhia do meu marido eu jamais sairia de casa”, afirmou a dona-de-casa Cássia Silva Oliveira. A filha adolescente dele foi assaltada quando retornava da escola.
Após o loteamento Amapá, um estirão de postes apagados causa a sensação de que o condutor está varando uma mata virgem na madrugada. “Tem que acelerar, mano. Depois de certa hora a gente se sente completamente indefeso”, comentou o representante comercial Joimar Guedes.
No primeiro dia de Expoacre, o movimento pela Via Verde praticamente triplicou. Um grupo de policiais que fazia a ronda no local encorajou a reportagem a denunciar. Os militares não quiseram falar publicamente sobre o assunto, mas admitiram que as ocorrências de assaltos e tentativas de estupro são comuns na região.
A única benfeitoria vista no trecho está na ponte de concreto, onde a escuridão favorecia bebedeiras, rachas e até o estacionamento irregular de veículos. “Nós fizemos uma obra que não está sob a nossa responsabilidade, mas havia muita gente reclamando. A ponte foi iluminada”, disse a secretária de Comunicação da Prefeitura de Rio Branco, Andréa Oliveira.
Manutenção será iniciada, diz Seop
A assessoria de comunicação da Secretaria de Obras informou que a empresa que executará a manutenção da iluminação nos trechos da Via Verde já está autorizada a fazer o serviço. A previsão é de uma semana para iniciar a manutenção, de acordo com nota divulgada pela assessoria.
Dnit diz que responsabilidade é da prefeitura
Quanto á iluminação no acesso ao aeroporto, esta responsabilidade seria da Prefeitura de Rio Branco. A informação foi dada por Bruno Soares, do Setor de Operações Rodoviárias do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). “A gente não fiscaliza e não tem atribuição em fazer reparos”, disse ele.
Já a secretária de Comunicação da prefeitura, Andréia Oliveira, afirma que o Município não tem qualquer responsabilidade sobre o caso.

Comentários

  1. Assim , estrada na escuridão sem falar só temos vou noturno e isso é uma pouca vergonha mesmo , as autoridades vão todos os dias visitar a capital do Brasil ,então quando passam por essa estrada né não dão conta disso

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

POR ONDE ANDA ?BARROS DE ALENCAR

BARROS DE ALENCAR POR ONDE ANDA ? Atualmente está participando do programa Kaká Siqueira na Rádio Record AM (1.000 kHz - São Paulo/SP), onde apresenta o quadro "Momento Barros de Alencar". BREVE HISTÓRICO: Comunicador, radialista, cantor e apresentador de TV. Paraíbano da cidade de Uiraúna, nasceu no dia 5 de agosto. Começou na Rádio Borburema, em Campina Grande - PB. Depois passou por Recife, Fortaleza e Belo Horizonte até chegar a cidade de São Paulo. Na Capital paulista passou pela antiga Rádio Tupi de São Paulo, Record e América. Na década de 80, comandou seu programa na TV Record, levando ao ar os grande sucessos musicais da época.

Povos indígenas no estado de Rondônia, fotos inéditas dos índios isolados do Acre

Povos indígenas no estado de Rondônia
Aikanã, Ajuru, Amondawa, Arara, Arikapu, Ariken, Aruá, Cinta Larga, Gavião, Jabuti, Kanoê, Karipuna, Karitiana, Kaxarari, Koiaiá, Kujubim, Makuráp, Mekén, Mutum, Nambikwara, Pakaanova, Paumelenho, Sakurabiat, Suruí, Tupari, Uru Eu Wau Wau, Urubu, Urupá
1-Povo Uru-Eu-Wau-Wau
A população da Terra indígena Uru-Eu-Wau-Wau é composta por vários subgrupos, como: Jupaú, Amondawa e Uru Pa In. Encontram-se distribuídos em 6 aldeias, nos limites da Terra Indígena, por questões de proteção e vigilância. Além destas etnias, há presença de índios isolados como os Parakuara e os Jurureís.
Os Jupaú traduzem sua autodenominação como "os que usam jenipapo". A denominação "Uru-eu-wau-wau" foi dada aos Jupaú pelos índios Oro-Uari.
Muitos foram os nomes atribuídos aos Uru-Eu-Wau-Wau. As denominações Bocas-Negras, Bocas-Pretas, Cautários, Sotérios, Cabeça-Vermelha, são encontradas na historiografia e estão relacionadas ao espaço geográfico ou a se…

Os 7 lugares impenetráveis do mundo

Os 7 lugares impenetráveis do mundo NOV 23 2009
Segue a lista dos 7 lugares de impossível acesso espalhados pelo mundo. São invulneráveis à entrada de qualquer pessoa não autorizada e foram estrategicamente construídos para evitar que isto aconteça. Look: . 1. O abrigo de sementes do fim do mundo A caverna (ou abrigo) de sementes do juízo final situa-se numa ilha norueguesa no Oceano Ártico aberto em 2008, criando um banco de mais de 100 milhões de sementes representando todas as principais culturas alimentares na Terra.
Trata-se então de uma gigante Arca de Noé afim de preservar a nossa flora, por milhares de anos. Se nossas espécies se acabarem por guerras, doenças ou até mesmo pelo aquecimento global, poderão ser reabastecidas a partir destas sementes, que estão protegidas 400 pés montanha abaixo, com todo o tipo de proteção para conservar nossas sementes. O local é constantemente protegido por guardas armados, pode suportar terremotos de magnitude 7º e também resiste a um ataque nuc…