Pular para o conteúdo principal

Noticias do Acre

Família de brasileiro preso por bolivianos interdita fronteira

 Jairo Barbosa -  17/02/2017  16:16:38
Os familiares do diarista Sebastião Nogueira do Nascimento (33), preso por policiais bolivianos no bairro José Hassem, em Epitaciolândia no último final de semana, interditaram a passagem na tranca entre Brasil e Bolívia para cobrar das autoridades brasileiras, uma posição quanto ao caso.
Usando faixas, pedaços de madeira e cartazes, os familiares bloquearam o trecho no final da Avenida Internacional, já na entrada da cidade de Cobija, Nogueira está preso.
Francisca Nogueira da Silva mãe do rapaz, disse que até agora não sabe o motivo pelo qual o filho preso.
No Brasil, Sebastião tem a ficha criminal limpa.
Meu filho está sendo acusado de algo que não sabemos. Quero resposta deles. Sebastião está sendo maltratado e sequer retiram as algemas dele para comer dentro de uma pequena sala. Estou sem dormir direito desde sábado quando fui avisada na colônia do ocorrido”, disse ela.
Os familiares cobram uma posição do consulado brasileiro em Cobija, a quem acusam de moroso e negligente no caso do diarista.
Na última quarta feira, em Rio Branco, o comandante da Policia Militar no Acre, coronel Júlio César, negou que a Polícia Boliviana tenha invadido o território nacional para prender Sebastião.
Segundo ele, existe um acordo de cooperação entre os dois países e quando as autoridades bolivianas tem uma ocorrência contra um brasileiro em solo nacional, se dirige ao Quartel da PM em Brasiléia, comunica o fato e é autorizada a acompanhar os policiais brasileiros na busca pelo acusado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POR ONDE ANDA ?BARROS DE ALENCAR

BARROS DE ALENCAR POR ONDE ANDA ? Atualmente está participando do programa Kaká Siqueira na Rádio Record AM (1.000 kHz - São Paulo/SP), onde apresenta o quadro "Momento Barros de Alencar". BREVE HISTÓRICO: Comunicador, radialista, cantor e apresentador de TV. Paraíbano da cidade de Uiraúna, nasceu no dia 5 de agosto. Começou na Rádio Borburema, em Campina Grande - PB. Depois passou por Recife, Fortaleza e Belo Horizonte até chegar a cidade de São Paulo. Na Capital paulista passou pela antiga Rádio Tupi de São Paulo, Record e América. Na década de 80, comandou seu programa na TV Record, levando ao ar os grande sucessos musicais da época.

Povos indígenas no estado de Rondônia, fotos inéditas dos índios isolados do Acre

Povos indígenas no estado de Rondônia
Aikanã, Ajuru, Amondawa, Arara, Arikapu, Ariken, Aruá, Cinta Larga, Gavião, Jabuti, Kanoê, Karipuna, Karitiana, Kaxarari, Koiaiá, Kujubim, Makuráp, Mekén, Mutum, Nambikwara, Pakaanova, Paumelenho, Sakurabiat, Suruí, Tupari, Uru Eu Wau Wau, Urubu, Urupá
1-Povo Uru-Eu-Wau-Wau
A população da Terra indígena Uru-Eu-Wau-Wau é composta por vários subgrupos, como: Jupaú, Amondawa e Uru Pa In. Encontram-se distribuídos em 6 aldeias, nos limites da Terra Indígena, por questões de proteção e vigilância. Além destas etnias, há presença de índios isolados como os Parakuara e os Jurureís.
Os Jupaú traduzem sua autodenominação como "os que usam jenipapo". A denominação "Uru-eu-wau-wau" foi dada aos Jupaú pelos índios Oro-Uari.
Muitos foram os nomes atribuídos aos Uru-Eu-Wau-Wau. As denominações Bocas-Negras, Bocas-Pretas, Cautários, Sotérios, Cabeça-Vermelha, são encontradas na historiografia e estão relacionadas ao espaço geográfico ou a se…

Os 7 lugares impenetráveis do mundo

Os 7 lugares impenetráveis do mundo NOV 23 2009
Segue a lista dos 7 lugares de impossível acesso espalhados pelo mundo. São invulneráveis à entrada de qualquer pessoa não autorizada e foram estrategicamente construídos para evitar que isto aconteça. Look: . 1. O abrigo de sementes do fim do mundo A caverna (ou abrigo) de sementes do juízo final situa-se numa ilha norueguesa no Oceano Ártico aberto em 2008, criando um banco de mais de 100 milhões de sementes representando todas as principais culturas alimentares na Terra.
Trata-se então de uma gigante Arca de Noé afim de preservar a nossa flora, por milhares de anos. Se nossas espécies se acabarem por guerras, doenças ou até mesmo pelo aquecimento global, poderão ser reabastecidas a partir destas sementes, que estão protegidas 400 pés montanha abaixo, com todo o tipo de proteção para conservar nossas sementes. O local é constantemente protegido por guardas armados, pode suportar terremotos de magnitude 7º e também resiste a um ataque nuc…