Pular para o conteúdo principal

No Acre é assim ...

Grávida peregrina por cinco dias em busca de atendimento em maternidade

 João Renato Jácome -  07/04/2017  15:08:31
A jovem Viviana Haerdrich, de 16 anos, e a família dela estão desesperados com o que chamam de descaso no atendimento da Maternidade Bárbara Heliodora, em Rio Branco. A gestante está em processo de abordo desde o domingo, dia 02, data em que começou a procurar a unidade de saúde em busca de atendimento. Atendida, ela fica em observação e depois é liberada. O caso só piorou a cada dia.
A reportagem do ac24horas conversou com a garota na terça-feira. Já nesta sexta-feira, dia 07, ela contou que está internada na maternidade, onde tenta reverter o processo abortivo. Após dar a primeira entrevista ao portal, Viviana chegou a ser procurada pela Direção da maternidade, que a internou após quatro dias de tentativa.
“Eu cheguei aqui às 16 horas, e disseram que estava tudo normal. Pediram ultrassom, mas só pode fazer após as 21 horas. Eu fui num médico particular, e ele me disse que eu precisava ser internada. Agora, eu vim na maternidade, e o médico me disse que os exames estão errados, e que eu preciso fazer tudo de novo”, conta.
Viviana se diz revoltada porque o médico que a atendeu disse que estava tudo normal com ela e o bebê, sendo que o sangramento não parou nos últimos dias. “Estou sangrando há cinco dias. Eles só me mandam para casa de novo. Ele me disse que os exames são mentira. Eles vão ter que se responsabilizar. Tenho medo de perder meu bebê”, completa.
Procurada, a Gerência Geral da Bárbara Heliodora explicou que os atendimentos ocorreram normalmente naquele dia e o fluxo era normal. Além disso, o hospital destacou que todos os exames são agendados e obedecem a ordem de classificação. A grávida contudo, explicou a Direção da unidade, não ficou em nenhum desses dias sem atendimento, sendo sempre atendida pela equipe médica.
A mãe da grávida, Noemi Haerdrich, que acompanha a gestação da filha, diz que o atendimento da maternidade é um “total descaso” e faz um trocadilho chamando o hospital de “matadouro humano”. “Aqui era para se iniciar a vida, e o que a gente vê é o fim da vida. Isso já se tornou uma cultura de atendimento. Isso é negligência, é muita negligência”, desabafa.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MULHER ENTRA NUA EM CABINE DA PM E CONSTRANGE POLICIAIS MILITARES

MULHER ENTRA NUA EM CABINE DA PM E CONSTRANGE POLICIAIS MILITARES EM MANAUS Portal do Holanda

Povos indígenas no estado de Rondônia, fotos inéditas dos índios isolados do Acre

Povos indígenas no estado de Rondônia
Aikanã, Ajuru, Amondawa, Arara, Arikapu, Ariken, Aruá, Cinta Larga, Gavião, Jabuti, Kanoê, Karipuna, Karitiana, Kaxarari, Koiaiá, Kujubim, Makuráp, Mekén, Mutum, Nambikwara, Pakaanova, Paumelenho, Sakurabiat, Suruí, Tupari, Uru Eu Wau Wau, Urubu, Urupá
1-Povo Uru-Eu-Wau-Wau
A população da Terra indígena Uru-Eu-Wau-Wau é composta por vários subgrupos, como: Jupaú, Amondawa e Uru Pa In. Encontram-se distribuídos em 6 aldeias, nos limites da Terra Indígena, por questões de proteção e vigilância. Além destas etnias, há presença de índios isolados como os Parakuara e os Jurureís.
Os Jupaú traduzem sua autodenominação como "os que usam jenipapo". A denominação "Uru-eu-wau-wau" foi dada aos Jupaú pelos índios Oro-Uari.
Muitos foram os nomes atribuídos aos Uru-Eu-Wau-Wau. As denominações Bocas-Negras, Bocas-Pretas, Cautários, Sotérios, Cabeça-Vermelha, são encontradas na historiografia e estão relacionadas ao espaço geográfico ou a se…

Loteria dos EUA sorteia prêmio de US$ 1,5 bilhão nesta quarta

Loteria dos EUA sorteia prêmio de US$ 1,5 bilhão nesta quarta Valor está acumulado desde novembro, quando último ganhador saiu.
Prêmio é o maior da história da Powerball. Da Reuters FACEBOOK