Pular para o conteúdo principal

Morar no Líbano: o que você precisa saber

Um país do Oriente Médio, localizado na Ásia Ocidental e fronteiras com Israel, Chipre e Síria. Se você já pensou em morar no Líbano, independente do motivo, deve saber que o país constitui a maior proporção de mão de obra qualificada no mundo árabe, sendo esta voltada para o empreendedorismo comercial.
Outra característica deste país é a de possuir a maior diversidade religiosa da região, sendo mais da metade muçulmanos (xiitas e sunitas); outra grande parte cristã (católicos, ortodoxos e protestantes) e uma pequena fatia de seitas como Alauita e Drúsio. Já a capital Beirute configura-se como um importante centro turístico devido a agitação noturna e a hospitalidade.

Como morar no Líbano

O Líbano, apesar de estar numa zona conflituosa, é um país que recebe muitos brasileiros. Na capital, de acordo com o Itamaraty, são cerca de 15 mil, segundo as últimas estatísticas. Durante o período que o país ficou assolado pela guerra, muitos fugiram para os Estados Unidos e para o Brasil. Estima-se que hoje, a comunidade libanesa no Brasil seja de cerca de 12 milhões de pessoas (contando com os seus descendentes).
Para turismo, brasileiros que viajam sem visto podem entrar e permanecer no país por um período máximo de 30 dias. Porém, recomenda-se que seja feito o contato prévio com a Embaixada ou o Consulado para que seja concedido o visto (gratuito) de três meses.
Já aqueles que desejam morar no Líbano, seja a estudos ou a trabalho, é preciso antes de mais nada solicitar o visto. A priore, para ambos são concedidos um período inicial de três meses e então, após o contato com o respectivo Ministério (do trabalho ou educação) é concedido o visto para o período compreendido. Os documentos básicos são:
  • Passaporte válido (mínimo de seis meses) e com duas páginas em branco;
  • Cópia das quatro primeiras páginas do passaporte;
  • Foto 3×4 recente, colorida e em fundo branco;
  • Formulário preenchido e assinado;
  • Original e cópia do RG;
  • Comprovante de residência atual (máximo três meses, original e cópia);
  • Carteiro profissional (caso tenha);
  • Comprovante de vínculo trabalhício no Brasil;
  • Holerite dos últimos três meses;
  • Extrato bancário (original e cópia);
  • Endereço de onde irá ficar no Líbano
As taxas que devem ser pagas vaiam de acordo com o número de entrada no país, sendo assim: 1 entrada é R$ 132; 2 entradas R$ 188 e múltiplas entradas R$ 626. Todas as taxas podem ser consultadas no site oficial da Embaixada.
O endereço da Embaixada o Líbano no Brasil é em Brasília, no SES 805, Avenida das Nações, lote 17 e, os contatos são: (61) 3443-3808 e embaixada@libano.org.br . Outros endereços oficiais são do Consulado Geral do Líbano, em São Paulo – Avenida Paulista, 688 – 16º andar, Bela Vista / Tel.: (11) 3262-0604 –, no Rio de Janeiro – Rua Dona Mariana, 39, Botafogo / Tel.: (21) 2539-2125 – e o consulado Honorário do Rio Grande do Sul – Rua Dr. Flores, 263, Conj. 1004 / Tel.: (51) 3211-2214. Os horários de atendimento é de 8h30 às 12h30 e das 14h às 18h.

Trabalhar no Líbano

Para aqueles que desejam trabalhar e morar no Líbano é preciso solicitar a autorização prévia junto à Embaixada ou Consulado para que seja emitido um documento pelo Ministério do Trabalho. Para que o mesmo seja realizado é preciso preencher o formulário com a respectiva informação e apresentar a justificativa.
  • Contrato de trabalho;
  • Original e cópia do RG;
  • Original e cópia da certidão de casamento (se for o caso);
  • Documento de garantia (especificado pelo consulado após o pedido).
Apesar destes serem os únicos documentos listados pela Secretaria Geral do Governo do Líbano é possível que documentos extras sejam solicitados a título de comprovação do trabalho no país.

Estudar no Líbano

Muitos brasileiros escolhem o Líbano como destino alternativo para estudar inglês, francês ou até mesmo o árabe (língua oficial do país). Nas escolas é comum o aprendizado destas línguas e muitos são aqueles que desejam morar no Líbano para a experiência do intercâmbio.
Há também a possibilidades de intercâmbio universitário e culturais, através de bolsas de estudos oferecidas pelo Governo Brasileiro ou até mesmo parcerias entre universidades de ambos os países. Muitos também procuram a área comercial devido a sua representatividade para um estágio profissional. Nestes casos, os documentos que devem ser apresentados são:
  • Carta de aceite ou vínculo com a instituição de ensino
Para além destes documentos, a Secretaria Geral do Governo do Líbano esclarece que o visto para estudantes estrangeiros são concedidos sob “condições específicas relacionadas com a instituição”. Ou seja, antes de solicitar o  visto é preciso justificar o motivo e o período que se pretende morar no Líbano com a finalidade dos estudos.

Custo de Vida

A moeda oficial do país é a Libra Libanesa (LL) que em relação a R$1 vale cerca de LL 366,49. Mas, em muitos lugares é possível utilizar o dólar como moeda de compra. Sendo assim, a diferença passa a ser de US$ 1 para LL 1.481,90. Apesar da diferença ser grande, apenas o poder de compra (quando comparado à São Paulo) é mais elevado. Outros itens como preço de aluguel, alimentação e despesas no geral são mais caras do que em São Paulo. Em reais, se em São Paulo para uma vida tranquila é necessário R$ 9.100, quem deseja morar no Líbano deve esperar o gasto de R$ 16.106, proporcionais.
O salário mínimo praticado no país é de LL 675, mas a média paga na capital chega a ser de LL 820. Porém, ainda é um valor baixo levando em consideração que a média de preço para alugar um apartamento de um quarto, fora do centro da cidade chega a ser de LL 483 (um pouco mais da metade do salário).

Vale a pena?

Para quem deseja morar no Líbano e atuar na área do empreendedorismo comercial, esta pode ser uma boa oportunidade, tendo em vista que o país investe nesta área. Mas atenção quanto ao salário para que possa viver com tranquilidade no país. Outras áreas com fortes influências comerciais são os produtos agrícolas e o turismo
Com relação aos conflitos, muitos brasileiros que estão morando no país chegaram a relatar à BBC que não “se assustam” com a situação reportada e que, chegam a se sentir mais seguros do que no Brasil. Ou seja, caso você tenha uma mente aberta, disposto a mudar de cultura e se inserir nos modos e costumes árabes, em terras do Oriente Médio, este pode ser um país promissor.

Curiosidades

Muitos dos países da região possuem restrições quanto às festas, bebidas e vestimentas (seja de homens quanto de mulheres). Porém, a capital Beirute é um pouco mais liberal e faz da cidade uma eterna festa. Na época do verão (entre junho e setembro) os bares e baladas da cidade ficam repletos de turistas.
Apesar de ser um país relativamente pequeno, possui mais de 20 universidades, sendo a mais famosa de todas a American University of Beirut, no bairro de Hamra, que também é conhecido como um local universitário.
O significado do nome do país, em árabe, é branco. Isto devido ao cume do Monte Líbano estar (quase sempre) coberto de neve. Este é um país com um clima bem diversificado, com muito sol no verão, épocas de chuva e até mesmo neve (em determinados pontos).
O desenho no centro da bandeira do Líbano uma espécie de pinheiro o cedro-do-Líbano. Uma árvore típica do país, muito utilizada na antiguidade e até mesmo citado na Bíblia. Em determinadas “florestas” do país é possível encontrar estas árvores com idades milenares.
Gostou desse post? Compartilhe e acompanhe mais dicas também no Facebook e YouTube

 Facebook      Nosso grupo      Twitter     Youtube

AtençãoAtenção

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POR ONDE ANDA ?BARROS DE ALENCAR

BARROS DE ALENCAR POR ONDE ANDA ? Atualmente está participando do programa Kaká Siqueira na Rádio Record AM (1.000 kHz - São Paulo/SP), onde apresenta o quadro "Momento Barros de Alencar". BREVE HISTÓRICO: Comunicador, radialista, cantor e apresentador de TV. Paraíbano da cidade de Uiraúna, nasceu no dia 5 de agosto. Começou na Rádio Borburema, em Campina Grande - PB. Depois passou por Recife, Fortaleza e Belo Horizonte até chegar a cidade de São Paulo. Na Capital paulista passou pela antiga Rádio Tupi de São Paulo, Record e América. Na década de 80, comandou seu programa na TV Record, levando ao ar os grande sucessos musicais da época.

Povos indígenas no estado de Rondônia, fotos inéditas dos índios isolados do Acre

Povos indígenas no estado de Rondônia
Aikanã, Ajuru, Amondawa, Arara, Arikapu, Ariken, Aruá, Cinta Larga, Gavião, Jabuti, Kanoê, Karipuna, Karitiana, Kaxarari, Koiaiá, Kujubim, Makuráp, Mekén, Mutum, Nambikwara, Pakaanova, Paumelenho, Sakurabiat, Suruí, Tupari, Uru Eu Wau Wau, Urubu, Urupá
1-Povo Uru-Eu-Wau-Wau
A população da Terra indígena Uru-Eu-Wau-Wau é composta por vários subgrupos, como: Jupaú, Amondawa e Uru Pa In. Encontram-se distribuídos em 6 aldeias, nos limites da Terra Indígena, por questões de proteção e vigilância. Além destas etnias, há presença de índios isolados como os Parakuara e os Jurureís.
Os Jupaú traduzem sua autodenominação como "os que usam jenipapo". A denominação "Uru-eu-wau-wau" foi dada aos Jupaú pelos índios Oro-Uari.
Muitos foram os nomes atribuídos aos Uru-Eu-Wau-Wau. As denominações Bocas-Negras, Bocas-Pretas, Cautários, Sotérios, Cabeça-Vermelha, são encontradas na historiografia e estão relacionadas ao espaço geográfico ou a se…

MULHER ENTRA NUA EM CABINE DA PM E CONSTRANGE POLICIAIS MILITARES

MULHER ENTRA NUA EM CABINE DA PM E CONSTRANGE POLICIAIS MILITARES EM MANAUS Portal do Holanda